segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Tua Bondade me Engrandeceu

 Charles Haddon Spurgeon 

“E a tua clemência me engrandeceu” (Sl. 18:35). 

 Estas palavras podem ser traduzidas como “Tua bondade me engrandeceu”. Davi, com gratidão, atribui toda a sua grandeza não à sua própria bondade, mas à bondade de Deus. 

“Tua providência ” é uma outra interpretação; e a providência nada mais é do que a bondade em ação. A bondade é o botão cuja flor é a providência, ou, a bondade é a semeadura cuja colheita é a providência. Alguns interpretam “Teu auxílio”, que é apenas uma outra expressão para providência; providência que, sendo a firme aliada dos santos, os auxilia no serviço de seu Senhor. Ou ainda, “Tua humildade me engrandeceu”.

 “Tua condescendência” talvez possa servir como uma interpretação mais abrangente, combinando as idéias mencionadas, inclusive a da humildade . O motivo de sermos engrandecidos é Deus fazer-se a Si mesmo pequeno. Somos tão pequenos que, se Deus manifestasse Sua grandeza sem a Sua condescendência, seríamos esmagados debaixo de Seus pés; mas Deus, que precisa Se inclinar para ver os céus, e se curvar para ver o que os anjos fazem, volta Seus olhos ainda mais abaixo, e olha para o abatido e contrito, e o engrandece. 

Há ainda outras traduções, como por exemplo, a da Septuaginta, onde se lê “Tua disciplina” - Tua paternal correção - me engrandeceu. Ainda que na paráfrase em aramaico leia-se “Tua palavra me enalteceu”, a idéia ainda é a mesma. Davi atribui toda a sua própria grandeza à bondade condescendente de seu Pai celestial. Que este sentimento possa ser ecoado em nossos corações nesta noite enquanto lançamos nossas coroas aos pés de Jesus, e clamamos “Tua bondade me engrandeceu”. 

Quão maravilhosa tem sido a nossa experiência da bondade de Deus! Quão doce tem sido Sua correção! Quão gentil Sua tolerância! Quão suave Seus ensinamentos. Quão benéfica Sua atração! Medita sobre isso, ó crente. Deixa a gratidão ser despertada; deixa a humildade ser aprofundada; deixa o amor ser agilizado, antes que caias no sono esta noite. 

Tradução: Mariza Regina Souza 

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Se procederes bem serás aceito



Gênesis 4

7 Porventura se procederes bem, não se há de levantar o teu semblante?
e se não procederes bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo;
mas sobre ele tu deves dominar.

João 6

60 Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro
é este discurso; quem o pode ouvir?
61 Mas, sabendo Jesus em si mesmo que murmuravam disto os seus
discípulos, disse-lhes: Isto vos escandaliza?
62 Que seria, pois, se vísseis subir o Filho do homem para onde
primeiro estava?
63 O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras
que eu vos tenho dito são espírito e são vida.
64 Mas há alguns de vós que não crêem. Pois Jesus sabia, desde o
princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

A vigilancia é fundamental na vida do crente



Mateus 18:06

6 Mas qualquer que fizer tropeçar um destes pequeninos que crêem em
mim, melhor lhe fora que se lhe pendurasse ao pescoço uma pedra de
moinho, e se submergisse na profundeza do mar.

Mateus 05:27,28

27 Ouvistes que foi dito: Não adulterarás.
28 Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher
para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.

I Coríntios 08:10,11,12,13

10 Porque, se alguém te vir a ti, que tens ciência, reclinado à mesa
em templo de ídolos, não será induzido, sendo a sua consciência
fraca, a comer das coisas sacrificadas aos ídolos?
11 Pela tua ciência, pois, perece aquele que é fraco, o teu irmão
por quem Cristo morreu.
12 Ora, pecando assim contra os irmãos, e ferindo-lhes a consciência
quando fraca, pecais contra Cristo.
13 Pelo que, se a comida fizer tropeçar a meu irmão, nunca mais
comerei carne, para não servir de tropeço a meu irmão.

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Não ha barreiras




Não ha barreiras
Álvaro Tito

Sei que os problemas vão surgir
Sei que provações virão
Põe a tua fé no intercessor que é Jesus
Que sempre te estende a forte mão
Sei que as muralhas do temor
Hão de intimidar teu ser
Mas põe a tua fé no intercessor que é Jesus
E as barreiras tu irás romper

Pois não há barreiras
Para aquele revestido do poder
Que vem de Deus
Destruindo todo mal e dor
As mais altas barreiras
Tu irás transpor

Sei que não há nada
Nem ninguém
Que consiga separar (separar)
Um cristão de Deus
E de uma vida mais além
No céu onde os temores vão cessar
É intransponível esse amor
Que Jesus tem pelos seus
Dando o livramento em plena luta
Em plena dor
Jesus é o nosso grande intercessor

Pois não há barreiras
Para aquele revestido do poder
Que vem de Deus
Destruindo todo mal e dor
As mais altas barreiras
Tu irás transpor

domingo, 8 de dezembro de 2013

Universalidade do sentimento religioso

Que existe na mente humana, e na verdade por disposição natural, certo senso da divindade, consideramos como além de qualquer dúvida. Ora, para que ninguém se refugiasse no pretexto de ignorância, Deus mesmo infundiu em todos certa noção de sua divina realidade, da qual, renovando constantemente a lembrança, de quando em quando instila novas gotas, de sorte que, como todos à uma reconhecem que Deus existe e é seu Criador, são por seu próprio testemunho condenados, já que não só não lhe rendem o culto devido, mas ainda não consagram a vida a sua vontade.

Certamente, se em algum lugar se haja de procurar ignorância de Deus, em nenhuma parte é mais provável encontrar exemplo disso que entre os povos mais retrógrados e mais distanciados da civilização humana. E todavia, como o declara aquele pagão, não há nenhuma nação tão bárbara, nenhum povo tão selvagem, no qual não esteja profundamente arraigada esta convicção: Deus existe! E mesmo aqueles que em outros aspectos da vida parecem diferir bem pouco dos seres brutos, ainda assim retêm sempre certa semente de religião. Tão profundamente penetrou ela às mentes de todos, que este pressuposto comum se apegou tão tenazmente às
entranhas de todos! Portanto, como desde o princípio do mundo nenhuma região, nenhuma cidade, enfim nenhuma casa tenha existido que pudesse prescindir da religião, há nisso uma tácita confissão de que no coração de todos jaz gravado o senso da divindade.

Aliás, até a própria idolatria é ampla evidência desta noção. Pois sabemos de quão mau grado se humilha o homem para que admire a outras criaturas acima de si mesmos. Desse modo, quando prefere render culto à madeira e à pedra, antes que seja considerado como não tendo nenhum deus, claramente se vê que esta impressão
tem uma força e vigor prodigiosos, visto que de forma alguma pode ser apagada do entendimento do homem, de modo que é mais fácil que as inclinações naturais se quebrantem, as quais, desta forma, na realidade se quebrantam quando, de seu arbítrio, o homem desce daquela altivez natural às coisas mais inferiores para que assim possa adorar a Deus.
 João Calvino